domingo, 8 de outubro de 2017

The Ultimate "Praticando Inglês"


Olá, olá!

Começo o post com uma frase estilo Capitão Óbvio: em qualquer profissão é importantíssimo que as pessoas continuem se aperfeiçoando nela. É óbvio? Pra caramba! As pessoas seguem isso? Raramente! Digo isso me baseando no meu próprio emprego: boa parte dos professores que trabalham comigo não estudam mais inglês, o que, acredito, deve ser muito comum em cursos de inglês e escolas, de maneira geral. 

Eu poderia apontar uma lista com os erros que o dono do estabelecimento onde trabalho comete em relação a isso, como por exemplo, não prover um plano de carreira para estimular o pessoal lá a se capacitar mais. Entretanto, hoje a crítica ficará só para os professores. Eu mesma quando terminei meu curso de inglês há quase dez anos atrás achava que era aquilo ali mesmo e não precisaria mais estudar - tolinha! - e quando fui buscar emprego como professora vi que não era assim que a banda tocava e tive um trabalho para reaprender conteúdos de turma avançada porque o que é fácil para aprender pose ser bem complicado para ensinar.

Daí que não adianta fazer um curso ou pagar um professor particular chegar no nível fluente e parar de se atualizar. Não dá. Primeiro porque a língua é uma coisa viva: se o português está sempre mudando e suas palavras ganhando novos significados, porque o inglês (espanhol, alemão, japonês, etc) não mudariam? Segundo porque a tecnologia nos força a superar nós mesmos haja visto o novo lançamento do Google: os fones que traduzem e tals

Sem mais delongas, vou compartilhar uma coisa bem útil para os estudantes e aspirantes a falantes de inglês. Há uma rede social russa chamada VK que é uma cópia do Facebook, com a vantagem de não ter os Hue Hue BR pipocando em todos os lugares. Os russos parecem não ligar muito para copyright e afins e adoram compartilhar tudo. Não mergulhei a fundo no VK, mas o que pesquisei eu achei. E voilà:

Revistas atuais da semana ou do mês americanas e inglesas em pdf e livros nos formatos pdf, epub e mobi: https://vk.com/magazines_ebooks

Material para os exames FCE, CEA, CPE: https://vk.com/cpe_cae_fce

Material par ao TOEFL: https://vk.com/club115604022

Material para o IELTS: https://vk.com/ieltsway

Forum com um pentalhão de e-books em inglês em pdf, epub e mobi: http://forum.mobilism.org/index.php?sid=36e426a29bbfccb23739f20f92d84cec (eu tive um treco quando achei "O Cortiço" em inglês!)

Adaptações de clássicos das literaturas americana e inglesa, divididos por níveis (tem até elementar): http://english-e-books.net/

Eu, no momento, estou lendo "Pride and Prejudice" e estudando com o material do Objective First, de Cambridge. Não sou muito fã de estudar livros de gramática crua, gosto mais de material que tenham um objetivo específico, como livros para cursos ou preparatórios para exames.

Tudo de graça, aproveitem! De nada :)

terça-feira, 26 de setembro de 2017

I Want to Break Free

Créditos aqui.

Olá, olá!

Voltei só para dizer que não morri. Sobrevivi a agosto, mas não foi fácil. Setembro também foi uma bosta, mas hoje tive uma boa notícia que me deu fôlego e até me animei a escrever por isso.

Conforme havia dito aqui eu precisava tirar uma pausa porque estava tendo uns problemas e precisava botar a cabeça no lugar. Nada mais justo do que atualizá-los: meu pai se recuperou da operação pela qual passou e a decisão sobre a qual falei é que estou processando a empresa onde trabalho. Não estava dando: 13 meses de FGTS não depositado e 6 meses de pagamentos atrasados. Isso virou a gota d'água quando a esposa do meu patrão (que acaba sendo minha patroa) me ligou numa sexta-feira me tratando feito um lixo me dando um esporro por algo que ela negligenciou e acabou me culpando. Nesse dia eu quase pedi minhas contas, mas o bom senso me disse que seria burrice, já que estou aqui há mais de 5 anos.

Então procurei um advogado que me foi bem recomendado e eis que ele abriu meus olhos a respeito de outras irregularidades: o fato de eu dar aulas sem receber pelas turmas, os meus horários semanais, etc. Juntei as evidências de cada coisa que estou a reclamar, já selecionei minhas testemunhas e a ação (basicamente é um pedido de rescisão indireta) já foi ajuizada. Pela providência divina (ou sorte), minha primeira audiência já está marcada para novembro. 

Fora isso, os investimentos continuam consistentes. Nesse mês a grana foi para reserva de emergência e WEGE3 e ABEV3.

Em setembro fui para Bienal (amei! adorei!) e assisti "A Coisa", baseado no meu livro querido do Stephen King. Recomendo o filme - que terá a parte dois, já adianto.

Fechando, segue um pouco de Queen porque essa música explica bastante meus sentimentos atuais:

Beijos de luz!



quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Pausa

Olá, olá!

Faltou-me vontade de escrever nesses dias que se passaram. Tomei uma decisão bem drástica em um determinado aspecto da minha vida, do tipo caminho sem volta e agora vou esperar o tempo passar com ansiedade e até mesmo uma certa agonia. Sei que tomei a decisão mais correta possível, mas eu não queria que as coisas tivessem tomado esse caminho.

Vou tirar uma pausa para evitar falar sobre o que está acontecendo, mas quem acompanha a saga já deve imaginar o que resolvi fazer... Enfim, torçam por mim.

Quanto às outras coisas, meu pai está se recuperando muito bem, os investimentos estão em dia e estou com saúde. Mentalmente, estou muito desanimada e cansada devido a uma área específica da vida. Em outras palavras, estou infeliz nesta área, mas estou trabalhando para correr atrás desse prejuízo.

Dependendo do rumo das coisas, é provável que demore para postar, mas se aparecer em breve não poderei detalhar sobre certos assuntos.

Um abraço a todos! Vou comentar nos blogs de vocês :)

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Agosto (de Deus)


Quando digo que odeio esse mês... Essas duas semanas eu sumi porque parece que vivi uns dois meses e não diria que vivi muito bem. Vamos às atualizações:

Meu pai passou por uma cirurgia hoje. Estava pilhada com isso, porque mesmo não sendo um procedimento muito grave, papai é hipertenso e não muito jovem, então eu fiquei bem preocupada, mas minha mãe já me ligou e disse que está tudo bem, graças a Deus. 

Nessas duas semanas que passaram, trabalhei intensamente e me chateei muito no trabalho. Pagamento atrasado em quase uma semana, 11 meses com o FGTS em atraso e cereja do bolo, fui tratada feito um lixo na sexta-feira passada pela minha patroa além de ela ter descombinado os dez dias de férias residuais que ela tinha me prometido para setembro. Não quero entrar em detalhes, mas eu fiquei muito mal, já somando isso com minha preocupação familiar e chorei litros na sexta,, praticamente nem dormi e lá fui eu trabalhar de 7:30 a quase 18h tentando aparentar a mais pura serenidade... 

Felizmente, o dinheiro tem me acompanhado: a mãe do meu aluno particular contratou horas em dobro nesse mês, já que a prova dele está chegando e ainda consegui fazer venda no Enjoei. Quanto aos investimentos, recebi proventos de FII e até o fim desse mês vão pingar dividendos e JSCP das minhas humildes ações. Com o atraso do pagamento e todo o resto, nem aportei direito ainda. Comprei umas fraçõezinhas de UGPA3 e BBSE3, mas ainda vou aportar em FFCI11, usufruir do meu direito de subscrição no MFII11 e reforçar minha reserva de oportunidade. Ah, amanhã vou receber a restituição do leão \o/

Estranhamente, apesar de tudo, os exercícios estão em dia. Desde que descobri a academia na praça ganhei motivação para me exercitar todos os 7 dias da semana, nem que seja só 30 minutinhos. Voltei a me alimentar bem e ainda dei uma emagrecidinha. Desgosto somado a bons hábitos.

Não terminei um só livro esse mês ainda. Nada é perfeito...

Enfim, é como estou. O mês esteve turbulento, mas acho que agora é daqui pra melhor. Não desistam de mim :)


quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Quem Paga para Aprender a Investir?

Olá, olá!

Aposto que a maioria leu o título do post com um tom de desdém, tipo "quem paga pra alguém arrumar sua cama?", mas o tom que quis passar é de realmente uma pergunta. 

Eu gostaria de saber quem paga relatórios tipo os da Suno (a propósito, recomendo as lives no Youtube! Toda 3ª sobre ações e um pouco de FIIs e duas 5ª no mês sobre FIIs), ou são assinantes da Bastter, ou pagaram algum curso sobre investimentos. Como tem sido a experiência? Se alguém puder compartilhar, ficaria grata.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Fechamento Julho - Início Agosto


Olá, olá!

Primeiramente, odeio agosto com todas as forças. O mês é tão desagradável que parece que tem 40 dias ao invés de 31. E não, os outros meses do ano que tem 31 dias não parecem ser longos. Adicionalmente, sempre me chateio seja no trabalho, sejana vida pessoal nesse mês medonho. 

Meu fim de julho foi tão corrido que levei duas - duas! - semanas para terminar de ler "Cem Anos de Solidão". Em julho também li "Trainspotting" (bem ruinzinho, o filme é infinitamente melhor), "Mysery - Louca Obsessão" (Stephen King, o rei!)e "Quero Ser Rico" do Bastter.

Não estudei nada, exceto FIIs.

Achei uma atividade física para complementar minhas caminhadas e pedaladas e ainda usar 0,0000001% dos impostos que pago:

ATI ou academia da terceira idade. (Imagem ilustrativa)

Super combina com meu humor de Lula Molusco nesse mês... Vou lá, uso os aparelhos dos velhinhos (num horário que não tem velhinho huehuhue) e quando vejo a hora passa até mais rápido. Descobri uma coisa importante que reitera meu ódio a academias: eu não tenho problemas com os exercícios, na verdade eu gosto deles. O que eu odeio é o clima de academia porque estou adorando fazer exercícios na praça: respiro ar puro, pego sol, não sou obrigada a olhar para franguinhas e bombados e ouvir música ruim. Odeio academia tanto quanto odeio o mês de agosto.

Deixando o ódio de lado porque sou uma pessoa do bem e odiar é coisa feia, vou tomar vergonha na minha face e responder aos comentários que ficaram no vácuo. Não foi proposital, é que tá corrido mesmo. 

Alguém aí já usou essa academia aí? Tem na cidade de vocês? Beijos!

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Balanços de Empresas: Onde Achar?

Olá, olá!

Poderia responder à pergunta título com o óbvio "veja o RI da empresa" ou "procura na Bovespa", mas vou indicar um site muito, muito bom: aqui . Gosto muito do trabalho do Eduardo Cavalcanti e vale a pena assistir as análises em vídeo dele. Está tudo mastigadinho, só é preciso analisar e ter senso crítico. Site gratuito, só precisa fazer cadastro.

Um abraço! 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Considerações do Banco Data

Olá, olá!

Anteontem mandei um e-mail para o Banco Data perguntando acerca da veracidade dos dados que ele apresenta. Para minha surpresa, eles foram rápidos no gatilho e me enviaram um minuncioso esclarecimento. Desde já parabenizo pela agilidade e explicação detalhada.

Segue (coloquei em vermelho umas coisinhas que são pertinentes, se é que me entendem...):

Olá, Jacqueline, tudo bem?

Agradecemos pelo seu contato e pela oportunidade que concede para que possamos nos manifestar.

Em relação aos seus questionamentos, esclarecemos que o site Banco Data não gera ou audita nenhum dado sobre as instituições financeiras. Todos os dados disponíveis são públicos e extraídos diretamente do site do Banco Central. Nossa missão apenas é organizar e gerar um relatório consolidado das informações que o site do Banco Central traz de forma pouco amigável aos usuários.

Em suma, todas informações que você encontra no Banco Data estão disponíveis e podem ser checadas a qualquer momento no site do Banco Central. Os dados trimestrais são provenientes da seção IF.Data, que está disponível no site do BCB http://www.bcb.gov.br/, bastando acessar a opção do menu “Sistema Financeiro Nacional” e, em seguida, “IF.Data – Dados Selecionados de Entidades Supervisionadas”. Outra opção é o acesso pelo link direto: https://www3.bcb.gov.br/informes/relatorios?lingua=pt

Já os dados mensais são obtidos através do sistema “Balancetes”, que está disponível pela opção “Sistema Financeiro Nacional”, “Informações para análise econômico-financeira” e “Balancetes”. Ou diretamente pela URL http://www4.bcb.gov.br/fis/cosif/balancetes.asp
Todos os dados gerados pelo BCB são importados por nosso robô, o que faz com que todo o processo ocorra sem intervenção humana, eliminando a chance de qualquer erro durante a transferência.

Frequentemente, recebemos questionamentos sobre divergências existentes entre os dados que estão nos sistemas do Banco Central e os demonstrativos que são publicados pela própria instituição. Entretanto, os dados que estão nos sistemas do Banco Central também são informados pela própria instituição, por meio do preenchimento de documentos de entrega obrigatória.

Todavia, muitas empresas no Brasil, sejam instituições financeiras ou empresas de capital aberto negociadas na Bolsa, possuem contabilidades confusas. O site bastter.com, que divulga dados para análise fundamentalista de ações, inclui a seguinte observação nos seus quadros de demonstrativos financeiros (Por exemplo: https://www.bastter.com/mercado/acao/abev.aspx):
“Os quadros usam os dados oficiais auditados e consolidados entregues a Bovespa. Há diferenças nos releases pois a empresa pode colocar o dado que quiser nos releases. Para conferir os dados, clique em dados da companhia no cabeçalho da empresa e depois em relatórios financeiros.”

É uma situação semelhante à que acontece com o Banco Data, porém, desta vez, a questão é uma divergência entre os dados que empresa entrega à Bovespa e os dados que informa nos releases que estão em sua área de Relação com Investidores. Este tipo de divergência não é uma novidade, porém, com o surgimento de ferramentas que facilitam o acompanhamento, ficou muito fácil constatar que os dados que uma instituição fornece ao Banco Central, à CVM ou à Bolsa não conferem entre si ou entre os dados disponibilizados pela própria instituição em sua área de RI.

Por fim, para os dados disponibilizados pelo Banco Central e compilados pelo Banco Data, esclarecemos que podem acontecer casos em que:

Há diferenças na metodologia adotada: o Banco Central do Brasil utiliza a metodologia COSIF. Entretanto, existem outras metodologias, com critérios contábeis distintos. Muitas instituições publicam dados seguindo a International Financial Reporting Standards (IFRS). Logo, ao comparar dois demonstrativos contábeis, é importante que ambos sigam a mesma metodologia. Maiores informações em: 

Há observações: quando houver alguma observação explícita para um determinado trimestre, esta observação poderá levar a alguma divergência nas informações. Por exemplo, se a instituição financeira não respeitou o prazo de entrega dos documentos contábeis ao BCB. Pode ocorrer, nesta situação, de constarem os dados de apenas 60 dias, ao invés dos 90 dias do trimestre. Todavia, é uma obrigação da instituição cumprir as datas determinadas pelo BCB para a entrega dos dados contábeis.

Conglomerado versus subsidiária: Ao analisar os resultados, é necessário atentar-se se a instituição é um conglomerado ou uma instituição independente. Há instituições cujo conglomerado passa por processo de recuperação judicial ou tem dados pouco apresentáveis e, a fim de melhorar sua imagem, exibem-se apenas os demonstrativos contábeis de uma instituição que faz parte daquele conglomerado e não do todo. Por exemplo, o conglomerado do “Banco Exemplo” é formado pelo “Banco Exemplo”, que tem bons resultados, pela “Exemplo DTVM” e pela “Exemplo Participações”, ambas altamente deficitárias. Neste caso, o conglomerado é obrigado a informar ao Banco Central os seus resultados, contudo, em sua área de RI, são veiculados apenas os dados positivos do “Banco Exemplo ” e ignorados os dados do conglomerado, que são altamente prejudicados pelo fraco desempenho da “Exemplo DTVM” e da “Exemplo Participações”.

Instituições que mudaram de tipo: Há instituições que eram independentes e hoje são um conglomerado. Muitas corretoras, financeiras e cooperativas de crédito tem se tornado conglomerados financeiros. Neste caso, é necessário atentar-se para comparar os resultados de conglomerado com conglomerado e de instituição independente com instituição independente. Esta é uma mudança natural, geralmente ocasionada pelo crescimento da instituição. Não há nada de irregular.

A lei 7.492/96 prevê como crimes contra o sistema financeiro nacional: Art. 10. Fazer inserir elemento falso ou omitir elemento exigido pela legislação, em demonstrativos contábeis de instituição financeira, seguradora ou instituição integrante do sistema de distribuição de títulos de valores mobiliários; Art. 11. Manter ou movimentar recurso ou valor paralelamente à contabilidade exigida pela legislação. Link para a lei completa: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7492.htm

Esperamos ter respondido sua dúvida a contento. Não hesite em entrar em contato caso surjam novas dúvidas.

Att.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Fim da Novela Modal

Olá, olá!

Editei este post aqui a pedido do CEO da Modal DTVM, Rodrigo Puga. Sim, o comentário que está nest post foi dele, confirmei com o próprio via Facebook.

O trecho que foi editado foi uma opinião minha, mas os dados expostos pelo Banco Data continuam no post porque, como dizem os jornalistas, meu compromisso é com a verdade.

O que posso concluir com isso tudo é que CEOs veem blogs com baixíssima visualizações e que acho legal a corretora Modal estreitar os laços com clientes, mas ainda não acho legal o balanço do banco, conforme está aqui, mas não vou opiniar mais sobre, quem quiser, clica no link e conclua sozinho.

Tentei editar o mínimo possível para que o texto não perdesse sua essência e não gostei da censura, imagina se todos os bancos sobre os quais eu fiz post viessem comentar dizendo que cometi um erro gravíssimo, etc etc, mas em atenção ao pedido dele, fui educada e alterei a parte onde expunha minha opinião.

O cliente é quem tem razão e o cliente consciente sempre irá verificar a saúde de uma instituição financeira antes de fazer um investimento.

Abraços a todos!

EDITADO ÀS 17:46:

Rodrigo Puga solicitou que eu adicionasse esses links aqui:

Link 1

Link 2

Link 3



domingo, 23 de julho de 2017

Esclarecimentos


Olá, olá!

Retirei dois posts do blog por um período que, espero, seja curto. Um foi o post sobre a dica do SST QG e o outro foi o que fiz há pouco. Vou tentar apurar a veracidade do comentário que recebi aqui porque a veracidade do que eu disse está baseada no site do Banco Data. Como sou muito pobre para ser processada, vou segurar os posts. Peço desculpas aos leitores, mas eu não estou a fim de me meter em bate-boca, mesmo duvidando que tenha sido um comentário verídico.

Quem leu, leu, quem não leu, espero em breve poder devolver os posts. Um abraço!

sábado, 22 de julho de 2017

Comparando Ações


Olá, olá!

Às vezes acontece de haver duas ou mais ações de um mesmo setor que parecem interessantes e bate aquela dúvida sobre qual é o melhor papel. Longe de mim ensinar qualquer coisa sobre análise de balanço de empresa, vou deixar só uma dica: Comparandus. Neste site você consegue comparar os balanços de até quatro empresas ao mesmo tempo. Acho muito válido e segue um exemplo de como ele funciona:

Hering ou Renner? Eis a questão...

O site é gratuito, só é necessário se cadastrar. Entretanto, ressalto que é sempre bom procurar outras fontes, mesmo sendo esta esta uma ferramenta útil.

Um abraço!

quinta-feira, 20 de julho de 2017

O Custo de Corretagem de Ações + Dica


Olá, olá!

Uns dos maiores problemas que o micro investidor encontra no mercado de ações são os custos com custódia e corretagem. Os analistas geralmente recomendam que a pessoa acumule um montante para comprar ações que seja de 0,5 a 1% o valor desses custos, ou seja, se minha corretora cobra R$ 10,00 de corretagem e R$ 10,00 de custódia, devo então executar uma ordem R$ 2.000,00 para compensar os R$ 20,00 de custos. O André Bona vai além e pede para que se considere os custos de venda (caso a pessoa queira vender lá na frente por algum motivo), então pegue meu exemplo e multiplique tudo por dois. Isso, apesar de verdadeiro, desanima porque o valor a investir fica alto. 

Entretanto, conforme dito aqui a Rico tem suas aplicações automáticas que são o pulo do gato para os que tem pouco para investir (e quem está iniciando na RV tem que investir pouco mesmo). A limitação desse serviço são as opções de ações, pois as que tem menos liquidez não aparecem para programar a compra. A grande maioria das ações que quero na minha carteira estão nesse serviço, mas o que fazer com as outras? Juntar um montante, como mencionei no início do texto? A resposta é: não. Descobri que há uma forma de pagar bem menos na corretagem na Modal Mais.

Trecho editado em 24/07/2017 a pedido do CEO da Modal DTVM, Rodrigo Puga:

Disclaimer: veja os dados do banco Modal aqui  

Há um site chamado Suicide Squad Traders que, como o nome diz, é uma plataforma de traders que tem parceria com a Modal e quem faz parte dele paga R$ 1,49 por corretagem na Modal Mais (que já não cobra custódia). E não, você não precisa ser trader, você só precisa se cadastrar no site. Portanto, com R$ 150,00 você já compra ações por um preço que compense a corretagem. Esse valor não está atrelado ao tipo de ações, se tem ou não liquidez, etc. Escolha o papel e compre, lembrando que cada ordem executada é R$ 1,49. 

De nada.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

As Ações de Julho + Atualizações

Eu tentando achar equilíbrio nessa semana.

Olá, olá!

Estou menos doente do que estive antes, apesar da tosse e da voz de cigarro (eu não fumo, então já se pode imaginar o quão inflamada a garganta esteve). Dessa vez a Rico não me trolou e pude investir em paz nas ações. Ontem eu quebrei o voto de não-curiosidade e resolvi ver a cotação das minhas ações após a notícia "Lula condenado" e o resultado foi: subiu tudo. Não que seja algo real e fixo - a renda variável varia - mas quis me iludir por alguns minutos, me deixa :p

Esse mês adicionei Engie e Grendene. Queria uma empresa do ramo de elétricas, poderia ter sido a Taesa? Poderia, mas é Unit e eu não curto, então foi a Engie que tem bons balanços e a governança me agrada. 

Amanhã recebo meus primeiros proventos do FII que investi em junho, clap clap. 

Estou há duas semanas sem atividades físicas. Devo ter adoecido por isso, inclusive. Estou bem cansada essa semana e só vou pensar em me movimentar a partir de 3ª que vem, é uma determinação pessoal.

Os treinamentos que tive do trabalho foram úteis, então todo o esforço de ir pra longe e pegar condução infernal valeu a pena, afinal.

No mais, só quis fazer um post rápido para descontrair. Beijos para todos!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Onde Investi? Julho.

Grr..

Olá, olá.

Depois de mais um hiato que eu disse que teria aqui voltei só para falar dos investimentos do mês. Estou feliz e puta. Feliz porque o salário veio limpo após cinco meses de vale (referente a uma viagem que fiz no ano passado) e, pode não parecer nada, estou me sentindo muito rica hahahaha. Adeus, parcelas de todo e qualquer tipo! Com um dinheiro a mais, pude investir mais e o ciclo foi virtuoso.

E por que estou puta? Trabalhei o fim de semana inteiro, cheguei morta ontem em casa e ainda adoeci. Minha garganta está ruim, estou com um forte resfriado e não gostaria de sair de casa por uns três dias, só que ainda tenho um treinamento pra fazer essa semana na puta que pariu no Rio e o resto do mês eu não vou ter sossego. Há que se considerar que tenho que dar graças a Deus que estou trabalhando, pelo menos. Disso eu não reclamo. Mas que eu to igual àquele coelho da Alice, eu to.

Enfim, pra encurtar : 
  • LCI 180 dias (isso é pra ser a reserva de emergência. Resolvi que depois dos 6 meses reservados, os outros 6 ficariam menos líquidos. Tipo, se eu for demitida hoje e não receber nenhum puto, bate na madeira, já tenho o sustento de 6 meses e por isso não preciso dos outros 6 tão líquidos assim.)
  • Ações. Programei pra hoje, vamos ver se a Rico compra certo dessa vez. 
  • FII (KNRI11. Não me pergunte os critérios... a minha cabeça dói só de pensar nos relatórios de FII...)
Uma ótima semana para os que ainda lembram de mim. Vou visitar os blogs dos colegas de finasfera, prometo :)


Deixa eu correr, porra!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Um Mês na RV


Olá, olá!

No dia 23 de junho fiz um mês de renda variável. Relatei aqui sobre o início e tals. Estou fazendo este post hoje porque recebi meus primeiros dividendos do Itub3 que emoção. Eu entrei na RV para ser holder, ou seja, para passar muuuuitos anos nela. Por mais ansiosa que eu seja (eu roo unha), não fiquei em momento algum preocupada com as oscilações, até então. Primeiro que não fico caçando cotação e me preocupando se paguei caro ou barato porque invisto muito pouco em RV para me preocupar com isso. Segundo porque estou segura sobre as empresas que decidi me tornar sócia. Li e estudei sobre análise fundamentalista, não garanto nada de espetacular, mas o básico que consegui entender está sendo útil para separar o joio do trigo, ao menos nesse comecinho. Algumas coisas como Capex e EBITDA eu achei meio difícieis de entender. Entender coisas relacionadas à Governança, apesar de ter várias nuances me parece mais tranquilo (tag along, free float, segmento de listagem, etc) e é um dos critérios principais que verifico. Enfim, não vou falar tanto sobre algo que apenas estou engatinahndo.

Quando a minha relação com a corretora Rico, tenho sentimentos confusos. Em pouco mais de um mês de corretora já tive uns 3 problemas (mais do que 3 anos de Easynvest que muita gente chama de Bugnvest). Entretanto, eu seria injusta se dissesse que o atendimento da Rico é ruim. Muito pelo contrário, eles são extremamente educados e acho o site deles melhor do que o da Easy. Meus problemas foram, respectivamente:
  • Minha primeira aplicação automática 
Fui comprar ações Itub3 e dei o azar de no dia elas não terem a liquidez necesária. No dia seguinte notei que nada havia mudado no meu home broker, liguei para a Rico e a pessoa que me atendeu disse que era assim mesmo que em 3 dias acompra seria liquidada, etc. Eu achei estranho (não o prazo de liquidar, claro! mas não aparecer 'ordem executada') e 3 dias depois liguei de novo dizendo que nada mudou. Aí eles compraram as ações pra mim sem cobrar nada. Nem os 50 centavos da corretagem.

  • Minha terceira aplicação automática 
Novamente Itub3. Enquanto o site me der a opção de comprar vou insistir, uai Não tinha liquidez e tals, já liguei no dia seguinte exlicando o que houve e compraram para mim. Dessa vez me cobraram quase 20 reais que eu rapidamente solicitei estorno. Levou uma semana pra eu reaver o dinheiro, mas reavi. Recebi ligações da corretora pedindo desculpas, muito educados.

  • Bug no sistema
Ao contrário da Easynvest que gosta de "sumir" com o dinheiro que você tem aplicado, a Rico me reconheceu como cliente nova e me pediu para refazer o cadastro, criar nova assinatura eletrônica, etc. Bug este que foi resolvido no dia seguinte. Como foi na mesma semana do estorno, me ligaram pra resolver isso também.

Ou seja, pelo curto espaço de tempo que estou lá, já tive alguns problemas, mas tudo já foi resolvido. Por enquanto não penso em aplicar em ações por outra corretora porque a Rico tem me atendido bem no qua tange os valores pequenos que aplico, mas futuramente pretendo investir nas ações que não estão disponíveis nas aplicações automáticas da Rico por outra corretora. Pensei na Modal Mais, mas o banco Modal está mal das pernas . Estou com uma micharia lá investida em FII, alguém investe por lá?

Um abraço!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Meio Ano - Metas

Mas já?!

Olá, olá!

Alguém já se deu conta que hoje encerra metade do ano de 2017? Gente, parece que o ano começou ontem, me lembro exatamente do que fiz no dia 1º de janeiro como se fosse algo muito recente. Êta, velhice! 

Peguei o meu planner e vi quais foram as metas que tracei para esse ano. Teoricamente deveria cumprir 50% ou estar com elas em 50% em progresso. E lá vamos nós:

Ler 100 livros (considerando que tinha lido 13 quando comecei a contabilizar essa meta)
Estou no 45º. Não está muito longe...

Juntar dinheiro para intercâmbio e reserva de emergência
Era para ser 6 meses de reserva e o resto para o intercâmbio. Mudei e agora será um ano de emergência e o intercâmbio eu começo a juntar em 2018. Estou em progresso e bem, obrigada.

Manter meu peso
Hahaha (auto explicativo. Mas tenho feito atividades físicas, só tenho que diminuir o consumo de junk food.)

Fazer 4 viagens curtas
Fiz uma. 

Arrumar uma renda extra
Sim.

Estudar: espanhol, outra pós ou qualquer coisa assim
Terminei o módulo 2 do espanhol, num total de 4. Yeah!

Parar de roer unha
Jesus, essa é a 3ª ou 4ª vez que tento esse ano. Faz uma semana que parei desde a última vez que parei.

Ser mais organizada
Comparando-se a 2016, eu sou quase uma Thais Godinho

Levar comida para o trabalho
Sim! 

Aprender mais sobre o mercado financeiro e investir melhor
Sim.

Ser minimalista
Em progresso.

Ser frugal
Sim.

Não comprar maquiagem
Nada comprei até o momento.

E não é que tá indo? A maioria das coisas estão ok, preciso melhorar algumas outras, mas no mais estou satisfeita.  

terça-feira, 27 de junho de 2017

Fechamento Junho

Olá, olá!

Passei o mês de junho trabalhando feito um diabo e negligencei o blog. A vida é feita de escolhas... Eu havia planejado as atividades físicas 5x na semana sem desculpas, falhei. Iniciar o módulo 3 do Espanhol, falhei. Estudar FIIs, até que sim, mas não foi tanto. Preferi ler mais sobre ações :)

Passei meu último fim de semana na chácara da minha avó no meio do mato, sem internet e foi energizante. Teve festa junina e com isso deu para participar de duas nesse mês. 

Hoje, enfim, apresentei meu artigo e fui aprovada :)

Livros que li: "Os Axiomas de Zurique" (bom), "Doutor Jivago" (horroso! Adoro o filme e o livro é decepcionante, cheio de personagens que não tem função, uma narrativa arrastada, larguei antes da metade porque é chato demais. Até "Os Irmãos Karamázovi" deu pra ler de maneira mais agradável.), "Como Água para Chocolate" (romance extraordinário, muito bom), "Bitcoin - A Moeda na Era Digital" (uma aula de Economia, bem legal), "O Cemitério" (devorei em dois dias. Longe de me dar medo, me instigou. Maravilhoso!) e estou fechando "Charles Chaplin - A Biografia Definitiva" e estou adorando porque tenho muito carinho por cinema antigo.

É só. Julho e agosto são meses que também trabalho bastante, então não garanto postagens muito regulares, mas vamos que vamos. O motivo da ausência é bom, pelo menos :)

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Mary Kay, Bino e Revendas em Geral

Será que é só a cara?

Olá, olá!

Eu já fui revendedora de produtos de catálogos. Durante um tempo vendi Avon, Demillus e Jequiti. Nunca tive problemas sérios e quando resolvi parar de vender foi porque não estava com saco para me dedicar mais. 

Se essas coisas davam retorno? Bem, na época que revendia Avon e Demillus, repassaei para minha mãe vender por mim na época que ela estava com o nome sujo e isso a ajudou a tirar uns trocados extras por mês porque ela conseguia vender pra miuta gente no seu trabalho. Em média, dá para ter 25% - 30% de lucro e se você não o gasta  comprando os produtos pra você (isso é muito tentador!), cobra direitinho e é prevenida, dá certo, sim. Porém, como qualquer trabalho, dá trabalho (eh, trocadilho) e seus clientes não vão brotar da terra: vai ter que correr atrás. No mais, acho muito válido vender essas coisas para fazer uma graninha a mais se você tem disciplina, boa vontade e outras habilidades que são necessárias para essa tarefa.

Entre as dezenas de coisas que podem ser vendidas por catálogo -Natura, Boticário, Abelha Rainha - tem a famigerada Mary Kay. Quem não conhece a marca, tem aqui na Wikipedia (em inglês). É a hstória de uma mulher do Texas que deu a volta por cima e criou sua própria empresa de cosméticos, tipicamente um sonho americano. Até aí, ok. No fim, são produtos de catálogo e é uma opção a mais de marca com as quais uma consultora pode trabalhar.

Só que ao contrário das outras tantas marca, a Mary Kay tem uma relação peculiar com suas consultoras... tem reuniões e incentivos como qualquer empresa, mas eles são -como posso dizer sem soar dramática?- incisivos em seu treinamento. 

Primeiramente, qualquer vendedora novata passa por uma processo de iniciação. O objetivo de cada revendedora é arrebanhar um número de iniciadas e a partir do que elas ganham, a 'lider' ganha em cima. É isso aqui, ó:
Crédito das imagens: aqui

Aí fica o questionamento: ok, mas qualquer outra marca de cosmético pode fazer isso aí. Sim, pode. E provavelmente faz mesmo. Entretanto, você nunca verá uma revendedora Avon, Natura, Eudora, Boticário, Jequiti, etc fazer escarcéu quando alguém vende esses mesmos produtos online ou acaba vendendo para alguém que já tem sua consultora. Na Mary Kay isso é um pecado mortal. Algumas consultoras MK agridem verbalmente suas concorrentes só por elas venderem os produtos no Facebook, por exemplo. Isso sem contar com o deslumbramento de "ganhar" o carro rosa... Inclusive, já vi esse carro pertinho do meu trabalho, ele existe mesmo. Mas para chegar nele, muita trouxa teve que dar o sangue em vendas para o diretor ganhar o carrinho dele. 

Para ilustrar o termo "trouxa" acima, vou contar a história de uma moça que trabalhava com a minha mãe. Ela tem a minha idade, tem depressão (ou bipolaridade ou coisa do tipo) e com isso tem períodos de muito otimismo e períodos de extremo pessimismo. Ela trabalhava no posto onde minha mãe está agora e, apesar de não ser funcionária pública, tinha muitas mordomias nesse emprego. Tirou um tempão de licença por causa do seu estado mental e depois que voltou pediu as contas. Ela pediu para sair de um emprego estável, pertinho da casa dela para... vender Mary Kay! Isso porque ela não poderia fazer as duas coisas ao mesmo tempo (coisa que daria caso ela vendesse qualquer outra marca) porque, de acordo com o treinamento que teve, precisava se dedicar de corpo e alma e seu atual emprego a atrapalhava. Trabalhei com um cara que também saiu do emprego para vender MK porque queria o carro rosa a todo custo. Tô falando sério!

Fica a dúvida se a marca faz lavagem cerebral ou se as pessoas tem a cabeça fraca. Além das pessoas que mencionei já estive com outros revendedores MK que falam da marca como se fosse uma verdadeira seita, é bem assustador. Por outro lado, conheço uma camelô que vende todas essas marcas de cosméticos que é super de boa. Como uma empreendedora, ela olha seus produtos a venda como geradores de receita e não como uma dádiva divina que lhe trará a riqueza. Não preciso dizer que ela já teve problemas com revendedoras MK que a viram como concorrente. 

Falando sobre a qualidade dos produtos: são ok. Já usei o kit de pele e acheimuito bom, já alguns itens de maquiagem achei normais, nada que justifique os preços. Honestamente, acho os preços muito caros para o que a marca promete, mas essa percepção é muito pessoal. 

Por fim, eu não odeio MK. Assim como dona Lúcia (a camelô) sei que é algo que dá pra vender e isso é o que importa. O que eu fico chocada é o deslumbre que a marca proporciona às revendedoras, deslumbre esse que não acontece com suas concorrentes. Isso é preocupante, principalmente depois de conhecer duas pessoas que abandonaram seus trabalhos para se dedicar a isso. Não estou falando de pessoas que saíram para empreender, são pessoas que saíram atrás de um sonho incutido na cabeça delas através de um discurso cheio de lorotas. É tipo Herbalife*, no fim das contas. Quem quer uma renda extra pode se dar bem se mantiver senso crítico e cabeça no lugar. Se não tiver isso, indico o selo:


*Se você procurar no Google vai ver alguns posts de pessoas falando que Herbalife é do capeta, etc etc. Eu discordo totalmente, Não é porque a marca tem um discurso estilo lavagem cerebral e porque as pessoas tem a mente fraca que satanás está envolvido. 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Onde Investi? Junho

Olá, olá!

Momento motivacional: faltam só 6 meses para eu acabar de montar o colchão de segurança! Quando dezembro chegar, terei um ano de gastos reservados. Sei que um ano pode parecer um prazo longo pra mim, que moro com meus pais, mas é o valor que pus como meta quando comecei a investir, foi o que me motivou a chegar até aqui. Tudo o que veio no caminho, como ação e FII aconteceu como consequência, apenas. 

Receitas:
Salário
Vendas no Enjoei
Aulas particulares

Investi:
76% em CDB liquidez diária
16% em ações (programei Ambev e Weg)
8% em FII 

Falando desse FII, ele era o dinheirinho que eu ia aportar no Tesouro IPCA, mas mudei de ideia. E como eu achei difícil analisar FII! Acho mais agradável e compressível ler sobre ações. 

Enfim, é o que tem pro mês :)

segunda-feira, 5 de junho de 2017

To Do List de Junho

Olá, olá!

Só gostaria de registrar que, juntamente com janeiro, junho é meu mês favorito do ano. Vamos às tarefas:
  • Fazer exercícios 5x por semana, sem desculpas. (Aos que possam achar essa meta repetitiva, digo em minha defesa que se eu não fizer isso pra me motivar a coisa não anda.)
  • Estudar sobre FIIs.
  • Começar o módulo 3 do espanhol (me dei um recesso um tanto quanto longo em maio...)
E é só isso mesmo porque quero que junho seja leve. Eu havia dito aqui que minha renda extra havia terminado, já que meu aluno já tinha feito a prova de inglês e tals, mas a boa notícia é que fui "recontratada" pela mãe desse mesmo aluno para dar aulas de redação - a coisa aconteceu no dia seguinte ao post. Pela primeira aula que tivemos no sábado já deu pra ver que teremos trabalho... que bom!

Uma observação meio redudante, mas que gostaria de dizer anyway é que metas de trabalho (o meu trabalho regular) eu não coloco aqui porque eu tenho meu próprio caderno pra isso e meu trabalho não é lá a coisa mais divertida para que eu fique falando sobre as metas dele por aqui. 

Junho também é o mês do dia dos namorados, o qual passarei só mas acho fofo quem vai passar com suas outras metades. Evitem os excessos e locais de pico - risadinha maliciosa - nesse dia que vão cobrar os olhos da cara e provavelmente farão um serviço ruim, devido à demanda. Aproveitem pechinchas e, mais do que tudo, sejam a companhia perfeita para a data. De nada adianta um presente maneiro se você estiver com mau hálito ou se simplesmente o relacionamento estiver falido. 

Esse também é o mês de aniversário do meu pai que todo ano manda a gente decorar a casa com tema junino e fica tocando músicas típicas durante 30 fucking dias. Continuo amando junho apesar disso :p

sexta-feira, 2 de junho de 2017

WTF, Sofisa?

Disappointed but not surprised.

Olá, olá!

Pegando carona na postagem do Stifler, gostaria de contar minha experiência com o cartão Sofisa. Pra quem estava procurando água em Marte ou não viu o post mencionado acima, vou resumir: Sofisa lançou um cartão presumidamente de débito que te possibilita fazer 2 saques por mês e... é isso o que ele faz. Eu havia solicitado o dito cujo e ele chegou ontem. Abri o envelope e no informe falava que era para usá-lo na função crédito mas ele não é crédito* o.O Não desbloqueei o belo, fui hoje no chat do banco pra entender melhor e me foi dito que é para usar como crédito, mas no fim do dia o valor é debitado da conta corrente (não dá pra usar ele em estabelecimentos que só aceitam débito) e, como imaginei, ele não debita do CDB de liquidez diária.

Minha experiência com o cartão Sofisa: coito interrompido. Não vai rolar. Se era pra fazer frente com o Intermedium (era?) eu acho que não preciso dizer que não fez (opa, acabei de dizer!) Enfim, nem vou desbloquear. Acho que o único motivo que valha a pena ter seria... bem, resgatei o CDB e por algum motivo não fiz TED pra outro banco, aí eu de fato precisarei sacar direto dele no caixa 24. É a típica situação "vai que..." O banco continua sendo bom, meu relacionamento continua firme, mas cartão que é bom nada, pelo menos por enquanto.

* Suco de tamarindo que parece limão e tem gosto de groselha.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fechamento das Metas de Maio

Ufa!

Olá, olá!

Vamos a elas:
  • Terminei aos 45 do segundo tempo o segundo módulo de espanhol. Notas boas, mas deveria ter me dedicado mais. ¡Dale, dale! Tengo que tener fluidez...
  • Não marcaram comigo a data da apesentação do meu artigo ainda. Not my fault. Estou com os registros dos e-mails que mandei tanto para a orientadora quanto para a coordenação perguntando quando seria. Vamos aguardar.
  • Em maio eu passei uma semana sem fazer exercício. "Compensei" na semana passada que fiz todos os dias, mas nesse mês fui realaxada =/
  • Sem renda extra, por enquanto. Consegui fazer duas vendas no Enjoei, pelo menos.
  • Li 5 livros: "1984" (estava há anos querendo ler, muito bom), "A Casa das Sete Mulheres" (chorei litros), "O Homem que Calculava", "Manual do Pequeno Investidor em Ações" e "Menos É Mais". 
Meus investimentos: o circuit break puxou meu fundo de debêntures incentivadas e tesouro IPCA pra baixo, mas o CDB, LCI e as ações fizeram o contraponto. Já que tudo atrelado a IPCA é pra longuíssimo prazo, está tudo belo. 

Filme do mês: "Metropolis". Eu, uma odiadora de filmes de ficção científica me rendi! Já entrou na lista dos meus filmes favoritos e estou extremamente chocada por uma coisa tão bem feita e foda ter sido feita em 1927. Tem ele no YouTube e essa versão é com uma trilha sonora/sonoplastia atual e o efeito é... perfeito. Pros que preferirem a versão original, é só procurar que tem no YouTube também.

OBS: os comentários, infelizmente, estão sendo moderados. Apesar de amar a liberdade, vou ter que censurar o Michele e o cara que viaja me imaginando dando aula de inglês. Lamentável *rolls eyes*

terça-feira, 30 de maio de 2017

Menos É Mais

Imagem autoexplicativa.

É como dizem os ditados: "o que está feito, está feito" e "não se pode chorar pelo leite derramado", mas a reflexão será útil. Esses dias estava verificando o valor da minha fatura do cartão - como se eu já não soubesse exatamente quanto teria que pagar - e comparei com a fatura do ano passado. Eis o resultado: reduzi 85% das compras com o cartão de crédito.

Ok, 85% é só um número apenas, mas olhando o descritivo das compras foi que eu fiquei mais triste: pelo menos 50% do que comprei em junho/2016 não foram compras de qualidade. A maior parte dos gastos foram com compras compulsivas, daquelas que a gente compra o mais do mesmo e quando está se sentindo vazio - tipo quando se vai ao shopping no fim de um dia ruim no trabalho, aí você compra uma pá de coisas porque você merece - e que eu nem usei tanto pra compensar tantos gastos. Tem coisa na fatura que eu comprei duplicada pra fazer estoque e até hoje o primeiro item não acabou. Compras burras, sabe? Olhando friamente, a fatura comportava meu salário, ou seja, eu pude pagar no mês seguinte, mas eu tinha outros gastos fora da fatura (a pós e os gastos em casa) e nunca me sobrava trocado algum. Se eu entrasse em alguma emergência, era com o cartão que pagaria e aí recomeçava o ciclo... Isso terminou (meio que por mal) no fim do ano passado quando gastei todo meu pagamento e quase todo meu 13º pra quitar fatura de cartão que, por descuido, tinha virado bola de neve. De lá pra cá tanta coisa mudou!
  • Roupas: não comprei nada novo desde antes de dezembro/2016. Honestamente, não precisei até agora. Coloquei pra consertar umas calças (ajustes com apertar, bainha, tingir, etc) e foi tudo. [1/4 do meu guarda-roupa eu doei em janeiro, era muita bagunça e havia roupas que fazia mais de um anoq ue eu não usava]
  • Maquiagem: uma das resoluções de 2017 foi não comprar mais nenhum item sequer e até agora estou sendo fiel (é, eu tinha muita maquiagem...) [Já consegui vender duas paletas de sombra até agora]
  • Calçados: nenhum até o momento. Não estou precisando de nadinha por enquanto. [Alguns pares de sapatos doados]
  • Bolsa: também não comprei e ainda ganhei uma de aniversário.
  • Bijuteria ou jóia: Nãaaao! Doei muitas no começo do ano e tudo o que preciso é de distância disso. Parece que se multiplica e eu nunca uso tudo que tenho. [Vendi um anel e tudo]
  • Perfume: acho que até 2020 consigo ficar cheirosa com o que tenho. [Vendi os perfumes que já tinham me enjoado, dei alguns pros meus pais também porque eles parecem que bebem perfume]
  • Livros: se eu já não era de comprar (PDF é vida, minha gente!), hoje em dia com o Kindle (provavelmente a melhor compra de 2017) é que eu não compro mesmo. Exceções: pedi 2 livros de aniversário porque não tinha na internet e ainda pedi pra comprarem no Estante Virtual porque não tenho frescura de ler livro usado. Pelo amor de Deus, é só um livro. [De livro físico eu tenho 5: "As Relações Perigosas" (meu livro favorito da vida!), os dois volumes de "...E o Vento Levou", "O Clã de Rhett Butler" que ainda não li e "O Livro da Economia". E só, o resto eu pego emprestado ou baixo] 
Bom, esses eram os itens com os quais mais joguei dinheiro fora. Também reduzi as visitas ao cabeleireiro e manicure, deixando pra ir só quando eu não souber o que fazer (cortar cabelo e mexer com químicas) porque não quero que meu cabelo caia. Ainda como fora às vezes, saio pra passear  e fiz uma viagem em janeiro desse ano (pagando tudo a vista, que delícia!) porque de certos prazeres eu não abro mão. Mas agora faço as coisas com a consciência e com o bolso tranquilos. Não há dinheiro que pague!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Dica de Estudos de Inglês: Podcast


Olá, olá!

Dica rápida da semana para quem está aprendendo inglês sozinho, já fala o idioma mas não quer perder a prática ou quer aprender o sotaque britânico: esse é o melhor podcast do mundo pra isso. Esse aí é o blog, que tem as transcrições dos episódios e coisas extras. É só baixar algum app de podcast (uso o Podcast Addict), procurar Teacher Luke e enjoy! O cara mantém desde 2008 esses podcasts ativos até hoje. Em geral, os episódios são divididos em três partes: as respostas dos ouvintes com alguns comentários, o tema do dia e um ponto gramatical ou de vocabulário a ser tratado - tudo num sotaque britânico fácil de entender e com muita didática.

Estava caçando na internet material para usar de extra para os meus alunos de preparatório de Cambridge e voilá! Nota 10!

Outros podcasts que escuto são os de espanhol  e os do André Bona e Investcast do Marcelo Cunha. Além de música e rádio CBN, são esses os meus companheiros quando estou na rua ou fazendo alguma atividade física. Alguém tem hábito de ouvir podcast? Tem algum para sugerir?

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Missão Dada...

... é missão cumprida!

Olá, olá!

Gostaria de dividir uma conquista minha que me deixou muito feliz. Eu havia mencionado aqui sobre um aluno particular que eu tinha e que estava para fazer prova em abril (na verdade a prova foi em maio, nesse fim de semana que passou). Ele é filho da chefe da minha mãe e prestaria um concurso cuja primeira etapa exigia matemática e inglês. O cara é fera em matemática e nada sabia de inglês, além de detestar o idioma. A mãe dele me "contratou" para dar aulas particulares de inglês e tive 3 meses e meio para dar conta de todo edital para alguém sem base no idioma. Bem, ele só precisava ler, interpretar e saber o conteúdo gramatical do edital, então deu pra eliminar conversação e listening. Com fé em Deus e mãos a obra, dei o meu melhor. 

Com o tempo, meu aluno foi se interessando pelo idioma e não mais se preocupava só em passar. Começou a estudar por gosto e sozinho e com isso nossas aulas foram ainda mais proveitosas. Resultado: ele precisava acertar em  inglêsum mínimo de 10 questões num total de 20 para não ser eliminado. Tirou 14, vulgo 70%! Se saiu melhor do que em matemática, a propósito. Eu estou muito orgulhosa dele, porque de nada adianta eu ter tanto trabalho se ele não tivesse se esforçado. Minha rendinha extra acabou, mas pelo menos serei recomendada para alunos futuros :)

terça-feira, 23 de maio de 2017

Olá, RV!


Olá, olá!

Então, como eu havia dito aqui, fiz o cadastro na Rico etc etc e fui surpreendida positivamente pelo atendente do chat deles que disse que só no mês que vem eu teria o dinheiro aplicado em ações. Como achei o cara do chat enrolado e tinha R$ 100,50 para testar que pessoa rycha, ter essa quantia pra teste em pleno final de maio hahahaha, deixei esse dinheirinho programado para o dia 20 e, como o dia útil mais próximo foi ontem, não é que o sistema aplicou? Recebi um e-mail confirmando o registro de oferta e sou a mais nova sócia microritária do Itaú. Quis estrear com banco e das opções era o banco que eu seria dona se fosse bilionária (tenho antipatia com certos bancos aí...) 

Quanto as outras empresas que farão parte do porta níquel de ações sou pobre e novata demais pra chamar de carteira hahaha, vi lá nas possibilidades da corretora as que me interessam e até que não tá ruim, não. É óbvio que não vou sair por aí comprando ação de empresa só porque está lá disponível, e fiquei #chatiada com tanta tranqueira disponível pra comprar... enfim, se estão pra ser compradas é porque tem quem compre. Not me. Vou começar a montar um porta níquel de ações com 7-8 empresas até o fim do ano com um dinheiro que não me faria falta se eu fosse roubada no mês e é o que tenho pra começar. Vou entrar aos pouquinhos, ler sobre análise fundamentalista porque o meu negócio é comprar e segurar e ir aprendendo com a prática e estudos. O dinheiro será pouco porque não vou mexer em nada no porcentual que poupo para minha reserva de emergência (que em dezembro estará finalizada) e porque eu to começando e não vou ficar por aí fazendo (muita) merda. Quanto às empresas, ainda estou vendo com calma, não é exatamente uma de cada setor - até porque tem setores que eu não invisto nem fudendo - mas os subsetores são diferentes e estou em dúvida em relação a uma delas... mas eu tenho todo o tempo do mundo pra resolver. Vou priorizar as que estou mais segura.

É isso... puxando o balanço patrimonial de algumas empresas que bisbilhotei, lembrei de como eu odiava as disciplinas de contabilidade da faculdade, mas dessa vez pelo menos estarei vendo coisas úteis pra mim. Devagar e sempre.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Coé, COE?

Hmm... passo.

Olá, olá!

Eu sou o tipo de pessoa que se ouço a mesma música tocada massivamente numa ráido eu tomo ódio dela, mesmo sendo uma música boa (levei uns 3 anos para gostar de "Sirens" do Pearl Jam porque a cada hora eu ouvia aqui) e, consequentemente, parei de ouvir rádio que toca música e ponto. Se eu vejo o mesmo artista fazendo cinco propagandas diferentes num mesmo período de tempo eu fico enjoada, mesmo gostando do artista (Giovana Antonelli, oi?). Por que eu agiria diferente com investimentos?

Em 2014 quando o Tesouro Direto ainda não era famosão (mas já existia bem antes disso) eu tive que garimpar informação sobre ele para poder investir, hoje em qualquer boteco você encontra especialistas sobre ele, mas isso está ok, é algo consolidado e dá para achar informações antigas sobre o dito cujo para fazer uma análise, etc, mas hoje há o COE (certificado de operações estruturadas) que muito é oferecido e pouco é explicado. Confesso que não sentei para ter um estudo muito detalhado sobre ele, mas o que vi e li achei tão complexo, mas tão complexo que não acho que justifique a tentativa. 

Reza o site da CETIP: "O Certificado de Operações Estruturadas - COE  é um novo investimento que passa a ser disponibilizado ao mercado brasileiro. É instrumento inovador e flexível, que mescla elementos de Renda Fixa e Renda Variável.  Traz ainda o diferencial de ser estruturado com base em cenários de ganhos e perdas selecionadas de acordo com o perfil de cada investidor. É a versão brasileira das Notas Estruturadas, muito populares na Europa e nos Estados Unidos" 

Já não gostei da mistureba. E tem uma coisa que gostei ainda menos: se x acontecer, y vai ser assim e x não for dessa forma, y terá uma alteração.  Isso é um jogo ou em um investimento? Ok, alguém me dirá, nenhum investimento é garantido e que até mesmo a poupança já foi confiscada pelo Governo etc etc. Beleza, mas se eu tenho formas menos complexas de investir tanto na RF quanto, pasme, na RV pra que diabos investiria num COE? E o tempo que eu passaria estudando a fundo como funciona essa jogatina aí eu passaria estudando o balanço de alguma empresa na qual eu quisesse comprar ações . 

Uma outra crítica que tenho ao COE é a falta de autonomia e o alto preço pago por isso. Quero dizer: eu invisto num fundo de debêntures incentivadas. Não tenho autonomia para escolher que empresas fazem parte do fundo. Com uma taxa de administração de 1% e o valor de investimento mínimo de R$ 100,00 eu aceito o risco, eu sei que pelo menos 95% do investimento desse fundo vai para debêntures incentivadas e ok. Um COE está com o valor mínimo de 5.000,00. Pra mim esse custo está muito alto, o risco ainda mais e autonomia é nula. "Ah, mas no COE você não perde" e o custo de oportunidade, como fica? Meu dinheiro empatado em algo que não sei bem, mas que se der errado eu "não vou ter perdido nada". Nada além de tempo, pois poderia ter botado em algo que conheço melhor.

Minha última crítica, voltando ao começo do post: tá tendo muita propaganda de COE. Eu abro a Easynvest e sou bombardeada, recebo e-mail e tals. Tô vendo tanto COE que enjoei. E pior: enjoei, pouco entendi e pouco gostei, agora só não sei se a ordem é bem essa hahaha

Alguém que esteja investindo em COE poderia me dar uma visão diferente? Comentários, críticas ou sugestões?