quinta-feira, 20 de julho de 2017

O Custo de Corretagem de Ações + Dica


Olá, olá!

Uns dos maiores problemas que o micro investidor encontra no mercado de ações são os custos com custódia e corretagem. Os analistas geralmente recomendam que a pessoa acumule um montante para comprar ações que seja de 0,5 a 1% o valor desses custos, ou seja, se minha corretora cobra R$ 10,00 de corretagem e R$ 10,00 de custódia, devo então executar uma ordem R$ 2.000,00 para compensar os R$ 20,00 de custos. O André Bona vai além e pede para que se considere os custos de venda (caso a pessoa queira vender lá na frente por algum motivo), então pegue meu exemplo e multiplique tudo por dois. Isso, apesar de verdadeiro, desanima porque o valor a investir fica alto. 

Entretanto, conforme dito aqui a Rico tem suas aplicações automáticas que são o pulo do gato para os que tem pouco para investir (e quem está iniciando na RV tem que investir pouco mesmo). A limitação desse serviço são as opções de ações, pois as que tem menos liquidez não aparecem para programar a compra. A grande maioria das ações que quero na minha carteira estão nesse serviço, mas o que fazer com as outras? Juntar um montante, como mencionei no início do texto? A resposta é: não. Descobri que há uma forma de pagar bem menos na corretagem na Modal Mais.

Disclaimer: veja os dados do banco Modal aqui porque ele não está muito bem das pernas. A dica que eu dou é: não deixe dinheiro parado na conta da corretora e opere pequeno

Enfim, há um site chamado Suicide Squad Traders que, como o nome diz, é uma plataforma de traders que tem parceria com a Modal e quem faz parte dele paga R$ 1,49 por corretagem na Modal Mais (que já não cobra custódia). E não, você não precisa ser trader, você só precisa se cadastrar no site. Portanto, com R$ 150,00 você já compra ações por um preço que compense a corretagem. Esse valor não está atrelado ao tipo de ações, se tem ou não liquidez, etc. Escolha o papel e compre, lembrando que cada ordem executada é R$ 1,49. 

De nada.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

As Ações de Julho + Atualizações

Eu tentando achar equilíbrio nessa semana.

Olá, olá!

Estou menos doente do que estive antes, apesar da tosse e da voz de cigarro (eu não fumo, então já se pode imaginar o quão inflamada a garganta esteve). Dessa vez a Rico não me trolou e pude investir em paz nas ações. Ontem eu quebrei o voto de não-curiosidade e resolvi ver a cotação das minhas ações após a notícia "Lula condenado" e o resultado foi: subiu tudo. Não que seja algo real e fixo - a renda variável varia - mas quis me iludir por alguns minutos, me deixa :p

Esse mês adicionei Engie e Grendene. Queria uma empresa do ramo de elétricas, poderia ter sido a Taesa? Poderia, mas é Unit e eu não curto, então foi a Engie que tem bons balanços e a governança me agrada. 

Amanhã recebo meus primeiros proventos do FII que investi em junho, clap clap. 

Estou há duas semanas sem atividades físicas. Devo ter adoecido por isso, inclusive. Estou bem cansada essa semana e só vou pensar em me movimentar a partir de 3ª que vem, é uma determinação pessoal.

Os treinamentos que tive do trabalho foram úteis, então todo o esforço de ir pra longe e pegar condução infernal valeu a pena, afinal.

No mais, só quis fazer um post rápido para descontrair. Beijos para todos!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Onde Investi? Julho.

Grr..

Olá, olá.

Depois de mais um hiato que eu disse que teria aqui voltei só para falar dos investimentos do mês. Estou feliz e puta. Feliz porque o salário veio limpo após cinco meses de vale (referente a uma viagem que fiz no ano passado) e, pode não parecer nada, estou me sentindo muito rica hahahaha. Adeus, parcelas de todo e qualquer tipo! Com um dinheiro a mais, pude investir mais e o ciclo foi virtuoso.

E por que estou puta? Trabalhei o fim de semana inteiro, cheguei morta ontem em casa e ainda adoeci. Minha garganta está ruim, estou com um forte resfriado e não gostaria de sair de casa por uns três dias, só que ainda tenho um treinamento pra fazer essa semana na puta que pariu no Rio e o resto do mês eu não vou ter sossego. Há que se considerar que tenho que dar graças a Deus que estou trabalhando, pelo menos. Disso eu não reclamo. Mas que eu to igual àquele coelho da Alice, eu to.

Enfim, pra encurtar : 
  • LCI 180 dias (isso é pra ser a reserva de emergência. Resolvi que depois dos 6 meses reservados, os outros 6 ficariam menos líquidos. Tipo, se eu for demitida hoje e não receber nenhum puto, bate na madeira, já tenho o sustento de 6 meses e por isso não preciso dos outros 6 tão líquidos assim.)
  • Ações. Programei pra hoje, vamos ver se a Rico compra certo dessa vez. 
  • FII (KNRI11. Não me pergunte os critérios... a minha cabeça dói só de pensar nos relatórios de FII...)
Uma ótima semana para os que ainda lembram de mim. Vou visitar os blogs dos colegas de finasfera, prometo :)


Deixa eu correr, porra!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Um Mês na RV


Olá, olá!

No dia 23 de junho fiz um mês de renda variável. Relatei aqui sobre o início e tals. Estou fazendo este post hoje porque recebi meus primeiros dividendos do Itub3 que emoção. Eu entrei na RV para ser holder, ou seja, para passar muuuuitos anos nela. Por mais ansiosa que eu seja (eu roo unha), não fiquei em momento algum preocupada com as oscilações, até então. Primeiro que não fico caçando cotação e me preocupando se paguei caro ou barato porque invisto muito pouco em RV para me preocupar com isso. Segundo porque estou segura sobre as empresas que decidi me tornar sócia. Li e estudei sobre análise fundamentalista, não garanto nada de espetacular, mas o básico que consegui entender está sendo útil para separar o joio do trigo, ao menos nesse comecinho. Algumas coisas como Capex e EBITDA eu achei meio difícieis de entender. Entender coisas relacionadas à Governança, apesar de ter várias nuances me parece mais tranquilo (tag along, free float, segmento de listagem, etc) e é um dos critérios principais que verifico. Enfim, não vou falar tanto sobre algo que apenas estou engatinahndo.

Quando a minha relação com a corretora Rico, tenho sentimentos confusos. Em pouco mais de um mês de corretora já tive uns 3 problemas (mais do que 3 anos de Easynvest que muita gente chama de Bugnvest). Entretanto, eu seria injusta se dissesse que o atendimento da Rico é ruim. Muito pelo contrário, eles são extremamente educados e acho o site deles melhor do que o da Easy. Meus problemas foram, respectivamente:
  • Minha primeira aplicação automática 
Fui comprar ações Itub3 e dei o azar de no dia elas não terem a liquidez necesária. No dia seguinte notei que nada havia mudado no meu home broker, liguei para a Rico e a pessoa que me atendeu disse que era assim mesmo que em 3 dias acompra seria liquidada, etc. Eu achei estranho (não o prazo de liquidar, claro! mas não aparecer 'ordem executada') e 3 dias depois liguei de novo dizendo que nada mudou. Aí eles compraram as ações pra mim sem cobrar nada. Nem os 50 centavos da corretagem.

  • Minha terceira aplicação automática 
Novamente Itub3. Enquanto o site me der a opção de comprar vou insistir, uai Não tinha liquidez e tals, já liguei no dia seguinte exlicando o que houve e compraram para mim. Dessa vez me cobraram quase 20 reais que eu rapidamente solicitei estorno. Levou uma semana pra eu reaver o dinheiro, mas reavi. Recebi ligações da corretora pedindo desculpas, muito educados.

  • Bug no sistema
Ao contrário da Easynvest que gosta de "sumir" com o dinheiro que você tem aplicado, a Rico me reconheceu como cliente nova e me pediu para refazer o cadastro, criar nova assinatura eletrônica, etc. Bug este que foi resolvido no dia seguinte. Como foi na mesma semana do estorno, me ligaram pra resolver isso também.

Ou seja, pelo curto espaço de tempo que estou lá, já tive alguns problemas, mas tudo já foi resolvido. Por enquanto não penso em aplicar em ações por outra corretora porque a Rico tem me atendido bem no qua tange os valores pequenos que aplico, mas futuramente pretendo investir nas ações que não estão disponíveis nas aplicações automáticas da Rico por outra corretora. Pensei na Modal Mais, mas o banco Modal está mal das pernas . Estou com uma micharia lá investida em FII, alguém investe por lá?

Um abraço!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Meio Ano - Metas

Mas já?!

Olá, olá!

Alguém já se deu conta que hoje encerra metade do ano de 2017? Gente, parece que o ano começou ontem, me lembro exatamente do que fiz no dia 1º de janeiro como se fosse algo muito recente. Êta, velhice! 

Peguei o meu planner e vi quais foram as metas que tracei para esse ano. Teoricamente deveria cumprir 50% ou estar com elas em 50% em progresso. E lá vamos nós:

Ler 100 livros (considerando que tinha lido 13 quando comecei a contabilizar essa meta)
Estou no 45º. Não está muito longe...

Juntar dinheiro para intercâmbio e reserva de emergência
Era para ser 6 meses de reserva e o resto para o intercâmbio. Mudei e agora será um ano de emergência e o intercâmbio eu começo a juntar em 2018. Estou em progresso e bem, obrigada.

Manter meu peso
Hahaha (auto explicativo. Mas tenho feito atividades físicas, só tenho que diminuir o consumo de junk food.)

Fazer 4 viagens curtas
Fiz uma. 

Arrumar uma renda extra
Sim.

Estudar: espanhol, outra pós ou qualquer coisa assim
Terminei o módulo 2 do espanhol, num total de 4. Yeah!

Parar de roer unha
Jesus, essa é a 3ª ou 4ª vez que tento esse ano. Faz uma semana que parei desde a última vez que parei.

Ser mais organizada
Comparando-se a 2016, eu sou quase uma Thais Godinho

Levar comida para o trabalho
Sim! 

Aprender mais sobre o mercado financeiro e investir melhor
Sim.

Ser minimalista
Em progresso.

Ser frugal
Sim.

Não comprar maquiagem
Nada comprei até o momento.

E não é que tá indo? A maioria das coisas estão ok, preciso melhorar algumas outras, mas no mais estou satisfeita.  

terça-feira, 27 de junho de 2017

Fechamento Junho

Olá, olá!

Passei o mês de junho trabalhando feito um diabo e negligencei o blog. A vida é feita de escolhas... Eu havia planejado as atividades físicas 5x na semana sem desculpas, falhei. Iniciar o módulo 3 do Espanhol, falhei. Estudar FIIs, até que sim, mas não foi tanto. Preferi ler mais sobre ações :)

Passei meu último fim de semana na chácara da minha avó no meio do mato, sem internet e foi energizante. Teve festa junina e com isso deu para participar de duas nesse mês. 

Hoje, enfim, apresentei meu artigo e fui aprovada :)

Livros que li: "Os Axiomas de Zurique" (bom), "Doutor Jivago" (horroso! Adoro o filme e o livro é decepcionante, cheio de personagens que não tem função, uma narrativa arrastada, larguei antes da metade porque é chato demais. Até "Os Irmãos Karamázovi" deu pra ler de maneira mais agradável.), "Como Água para Chocolate" (romance extraordinário, muito bom), "Bitcoin - A Moeda na Era Digital" (uma aula de Economia, bem legal), "O Cemitério" (devorei em dois dias. Longe de me dar medo, me instigou. Maravilhoso!) e estou fechando "Charles Chaplin - A Biografia Definitiva" e estou adorando porque tenho muito carinho por cinema antigo.

É só. Julho e agosto são meses que também trabalho bastante, então não garanto postagens muito regulares, mas vamos que vamos. O motivo da ausência é bom, pelo menos :)

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Mary Kay, Bino e Revendas em Geral

Será que é só a cara?

Olá, olá!

Eu já fui revendedora de produtos de catálogos. Durante um tempo vendi Avon, Demillus e Jequiti. Nunca tive problemas sérios e quando resolvi parar de vender foi porque não estava com saco para me dedicar mais. 

Se essas coisas davam retorno? Bem, na época que revendia Avon e Demillus, repassaei para minha mãe vender por mim na época que ela estava com o nome sujo e isso a ajudou a tirar uns trocados extras por mês porque ela conseguia vender pra miuta gente no seu trabalho. Em média, dá para ter 25% - 30% de lucro e se você não o gasta  comprando os produtos pra você (isso é muito tentador!), cobra direitinho e é prevenida, dá certo, sim. Porém, como qualquer trabalho, dá trabalho (eh, trocadilho) e seus clientes não vão brotar da terra: vai ter que correr atrás. No mais, acho muito válido vender essas coisas para fazer uma graninha a mais se você tem disciplina, boa vontade e outras habilidades que são necessárias para essa tarefa.

Entre as dezenas de coisas que podem ser vendidas por catálogo -Natura, Boticário, Abelha Rainha - tem a famigerada Mary Kay. Quem não conhece a marca, tem aqui na Wikipedia (em inglês). É a hstória de uma mulher do Texas que deu a volta por cima e criou sua própria empresa de cosméticos, tipicamente um sonho americano. Até aí, ok. No fim, são produtos de catálogo e é uma opção a mais de marca com as quais uma consultora pode trabalhar.

Só que ao contrário das outras tantas marca, a Mary Kay tem uma relação peculiar com suas consultoras... tem reuniões e incentivos como qualquer empresa, mas eles são -como posso dizer sem soar dramática?- incisivos em seu treinamento. 

Primeiramente, qualquer vendedora novata passa por uma processo de iniciação. O objetivo de cada revendedora é arrebanhar um número de iniciadas e a partir do que elas ganham, a 'lider' ganha em cima. É isso aqui, ó:
Crédito das imagens: aqui

Aí fica o questionamento: ok, mas qualquer outra marca de cosmético pode fazer isso aí. Sim, pode. E provavelmente faz mesmo. Entretanto, você nunca verá uma revendedora Avon, Natura, Eudora, Boticário, Jequiti, etc fazer escarcéu quando alguém vende esses mesmos produtos online ou acaba vendendo para alguém que já tem sua consultora. Na Mary Kay isso é um pecado mortal. Algumas consultoras MK agridem verbalmente suas concorrentes só por elas venderem os produtos no Facebook, por exemplo. Isso sem contar com o deslumbramento de "ganhar" o carro rosa... Inclusive, já vi esse carro pertinho do meu trabalho, ele existe mesmo. Mas para chegar nele, muita trouxa teve que dar o sangue em vendas para o diretor ganhar o carrinho dele. 

Para ilustrar o termo "trouxa" acima, vou contar a história de uma moça que trabalhava com a minha mãe. Ela tem a minha idade, tem depressão (ou bipolaridade ou coisa do tipo) e com isso tem períodos de muito otimismo e períodos de extremo pessimismo. Ela trabalhava no posto onde minha mãe está agora e, apesar de não ser funcionária pública, tinha muitas mordomias nesse emprego. Tirou um tempão de licença por causa do seu estado mental e depois que voltou pediu as contas. Ela pediu para sair de um emprego estável, pertinho da casa dela para... vender Mary Kay! Isso porque ela não poderia fazer as duas coisas ao mesmo tempo (coisa que daria caso ela vendesse qualquer outra marca) porque, de acordo com o treinamento que teve, precisava se dedicar de corpo e alma e seu atual emprego a atrapalhava. Trabalhei com um cara que também saiu do emprego para vender MK porque queria o carro rosa a todo custo. Tô falando sério!

Fica a dúvida se a marca faz lavagem cerebral ou se as pessoas tem a cabeça fraca. Além das pessoas que mencionei já estive com outros revendedores MK que falam da marca como se fosse uma verdadeira seita, é bem assustador. Por outro lado, conheço uma camelô que vende todas essas marcas de cosméticos que é super de boa. Como uma empreendedora, ela olha seus produtos a venda como geradores de receita e não como uma dádiva divina que lhe trará a riqueza. Não preciso dizer que ela já teve problemas com revendedoras MK que a viram como concorrente. 

Falando sobre a qualidade dos produtos: são ok. Já usei o kit de pele e acheimuito bom, já alguns itens de maquiagem achei normais, nada que justifique os preços. Honestamente, acho os preços muito caros para o que a marca promete, mas essa percepção é muito pessoal. 

Por fim, eu não odeio MK. Assim como dona Lúcia (a camelô) sei que é algo que dá pra vender e isso é o que importa. O que eu fico chocada é o deslumbre que a marca proporciona às revendedoras, deslumbre esse que não acontece com suas concorrentes. Isso é preocupante, principalmente depois de conhecer duas pessoas que abandonaram seus trabalhos para se dedicar a isso. Não estou falando de pessoas que saíram para empreender, são pessoas que saíram atrás de um sonho incutido na cabeça delas através de um discurso cheio de lorotas. É tipo Herbalife*, no fim das contas. Quem quer uma renda extra pode se dar bem se mantiver senso crítico e cabeça no lugar. Se não tiver isso, indico o selo:


*Se você procurar no Google vai ver alguns posts de pessoas falando que Herbalife é do capeta, etc etc. Eu discordo totalmente, Não é porque a marca tem um discurso estilo lavagem cerebral e porque as pessoas tem a mente fraca que satanás está envolvido.